quarta-feira, maio 21, 2008

Aqui sentada de rabo no chão

Aqui sentada de rabo no chão
Penso em tudo e penso em nada.
Já a tive ao colo, agora está ao meu lado...
A minha guitarra azul.
Só a ouvi-los permaneço noutra dimensão
Sinto-me leve... Dá-me calma
Olho agora para ela...
Para a minha guitarra azul
Como é perfeita... Eu não sou como ela.
Preciso de vos ouvir, de vos ver...
A vossa música sacia-me a vontade...
A vontade de imaginar o céu pintado de laranja
Olho para o tecto... Não me deixa ver o céu...
Por isso tenho de o imaginar...
Agora escuro... Com estrelas.
Ainda bem que existem...
São a cura para os meus problemas...
São o meu psiquiatra.
Com vocês cresci...
Com vocês me apaixonei...
Com vocês encontrei o amor...
Com vocês me curo...
Quando acabarem, será a minha doença...
O meu fim...
Mas a vossa música é imortal...
Contudo, só posso saciar a vontade de vos ouvir...
E não a de vos ver pessoalmente.
São o meu refúgio...
E por aqui fico... sentada de rabo no chão...
A ouvi-los com a minha guitarra azul.

Persona Naturale

4 comentários:

LADY-BIRD, ANTITABÁGIKA, FÃ DO JOMI LOL E JÁ AGORA DO NOSSO AMIGO ANTI-TECNOLOGIAS: MARCHANTE (se não existisse tinham que o inventar) disse...

gostei... só não gosto do "rabo no chão"
podia ser " rabioske na Chezlongue" lol

Persona naturale disse...

lol só tu

Shadow disse...

Miguita... ESte teu poema faz pensar... Tens talento... Gosto do que escreves... Todos nós sonhamos de "rabo no chão" de vez em quando e th pena de quem não o faz...

Parabéns.

Persona naturale disse...

Obrigada amiga.

Bjinhos