sábado, março 10, 2007

Manuel Jorge de Oliveira

Manuel Jorge de Oliveira, um grande senhor da vida tauromáquica. Para mim o melhor cavaleiro tauromáquico.
Manuel Jorge Martins de Oliveira, nasceu na Azambuja a 23 de Fevereiro de 1959. Desde tenra idade que monta a cavalo.
Na equitação teve como mestres os seus conterrâneos José Vicente e Dionísio, foi ainda aluno da figura ímpar da equitação mundial, que deu pelo nome de MESTRE NUNO OLIVEIRA.
A sua primeira experiência taurina, foi com apenas 10 anos de idade, quando participou numa vacada a favor dos Bombeiros Voluntários da Azambuja.
Em Alcochete, a 23 de Maio de 1976, prestou provas para cavaleiro praticante.
A alternativa de cavaleiro tauromáquico, teve lugar na Praça de Toiros do Campo Pequeno, em Lisboa, a 2 de Junho de 1977, numa corrida da Associação de Comandos. Foi padrinho da alternativa JOSÉ JOÃO ZOIO, sendo testemunhas Luís Miguel da Veiga, José Luís Sommer de Andrade, Gustavo Zenkl e João Moura. O já desaparecido cavaleiro Gustavo Zenkl substituiu o saudoso José Mestre Batista, que havia sofrido um acidente dias antes da corrida, quando treinava. As pegas foram da responsabilidade dos Forcados Amadores de Santarém e Forcados Amadores de Montemor-o-Novo.Foi lidado um curro de toiros, da ganadaria de Ortigão Costa. Montando os cavalos ELMO, de ferro Veiga e BAFEJADO, de ferro Ortigão Costa, MANUEL JORGE DE OLIVEIRA, lidou o toiro da alternativa, que dava pelo nome de "Pandereto" e pesava 456 Kgs.. Vestiu nessa noite uma casaca azul e oiro.
O debute além fronteiras ocorreu no ano de 1979, na Real Maestranza de Sevilha, tendo para além de Mestre João Branco Núncio, sido o único toureiro português a apresentar-se além fronteiras, directamente numa importante Feira Taurina. No ano de 1979, apresentou-se na Feira de San Isidro, em Madrid, cortando uma orelha em cada toiro, tendo no final saído em ombros.
Nos anos de 1979 e 1982, conquista em França o "Rojão de Oiro". MANUEL JORGE DE OLIVEIRA protagonizou em 29 de Maio de 1988 na Praça de Toiros da Azambuja, um acontecimento inédito em Portugal, ao encerrar-se na lide de seis toiros da extinta ganadaria do Bodeal da Rainha, lidando quatro toiros a cavalo e dois a pé.
Ao longo dos seus vinte e nove anos (quase trinta) de alternativa, apenas concedeu a alternativa a 25 de Agosto de 1983, a Carlos Arruda (já retirado), na Praça de Toiros do Campo Pequeno em Lisboa e a 3 de Agosto de 2001 ao francês Bernard Guillibert, na Praça de Toiros de Cascais e a Paulo Jorge Ferreira na Praça de Povoa de Varzim.
Ao longo de trinta e três anos de carreira e vinte e cinco anos de alternativa, o cavaleiro MANUEL JORGE DE OLIVEIRA participou em mais de mil corridas e lidou mais de dois mil toiros, tendo utilizado mais de cem cavalos, com a particularidade de todos eles terem sido postos por si, a enfrentar os toiros nas arenas, nunca tendo adquirido montadas já postas a tourear.
Das montadas que dispôs, apenas duas éguas fizeram parte da sua quadra, a "MÁ-FÉ", sendo esta última ainda viva, encontrando no campo o descanso merecido. Na época áurea da carreira do cavaleiro da Azambuja, foi imprescindível a colaboração de uma montada, que tal como o seu amo e senhor, também ficou na história do toureio, trata-se do celebérrimo "BAFEJADO". O "FOGUETE" foi outro cavalo polémico e famoso, que serviu na quadra de MANUEL JORGE DE OLIVEIRA.
MANUEL JORGE DE OLIVEIRA, criou um estilo de toureio que fez escola, tendo na actualidade nas arenas discípulos, como as francesas Lídia Artmon e Elena Gayral,o francês Bernard Guilliberte os cavaleiros praticantes portugueses Filipe Gonçalvese Paulo Jorge Ferreira.
Ao longo da carreira MANUEL JORGE DE OLIVEIRA, foi distinguido por inúmeros troféus, que premiaram o melhor cavaleiro da temporada e as melhores lides a cavalo.Para além do toureio,o cavaleiro da Azambuja, é muito solicitado para ministrar estágios de equitação além fronteiras, percorrendo vários países da Europa. As comemorações dos seus vinte e cinco anos de alternativa, tiveram lugar na localidade da Azambuja, no dia 26 de Maio de 2002.
Manuel Jorge de Oliveira continua a ser uma grande referência tauromáquica para todos aqueles que vêem na tourada uma forma de arte e cultura.
Nota: a biografia do Manuel Jorge de Oliveira foi retirada do seu site oficial www.manueljorgeoliveira.com, limitei-me assim, a actualizar algumas informações presentes no site.

Um comentário:

Joaninha disse...

eu tinha um cavalo russo que se xamava gingão...